Receba nosso boletim
Twitter

Portos do País serão informatizados a partir de agosto

Portos com menos burocracia e mais agilidade devem começar a operar no País a partir de agosto, quando começa a ser implantada uma das principais medidas do Projeto Porto Sem Papel, o Sistema de Informação Concentrador de Dados Portuários. O sistema, desenvolvido pela Secretaria de Portos (SEP) da Presidência da República, promete desburocratrizar os procedimentos de estadia dos navios nos portos brasileiros e conferir mais agilidade a esse processo. A expectativa é de reduzir, em média, 25% tempo de estadia de navios nos portos brasileiros.

A modernização dos sistemas começa em 1º de agosto pelo Porto de Santos. Nessa data, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) passará a utilizar a ferramenta, para emitir a livre prática — permissão para uma embarcação operar embarque e desembarque de viajantes, cargas ou suprimentos. O Porto do Rio de Janeiro será o próximo, seguido do Porto de Vitória.

O novos sistema concebido para criar uma Janela Única Portuária a partir de um Portal de Informações, que integra em um banco de dados as informações de interesse dos diversos órgãos públicos que operacionalizam e gerenciam as estadias de embarcações nos portos marítimos brasileiros.

A livre prática da Anvisa será emitida via Sistema Porto sem Papel a partir da análise documental  e realização de inspeção a bordo.

“A principal vantagem deste sistema é a economia de tempo e recursos de todos os envolvidos no processo portuário. Quanto à Anvisa, os procedimentos de controle sanitário continuarão os mesmos, seja o certificado de livre prática via rádio ou a bordo”, ressaltou o gerente-geral de portos, aeroportos, fronteiras e recintos alfandegados da Anvisa, Paulo Biancardi Coury.

O Serpro desenvolveu o sistema e realizou o levantamento de requisitos junto aos seis órgãos que atuam na operação portuária: Autoridade Portuária, Receita Federal, Polícia Federal, Anvisa, Vigiagro e Marinha do Brasil. O cronograma de instalação do sistema em outros portos ainda será divulgado pela pasta.


Prouni forma 174 mil jovens com graduação em seis anos

Criado há pouco mais de seis anos, o Programa Universidade para Todos (ProUni) já formou 174,5 mil jovens e custeia atualmente os estudos de outros 464,5 mil, com a oferta de bolsas.

De acordo com o secretário de educação superior do Ministério da Educação, Luiz Cláudio Costa, o ProUni associa qualidade, excelência e inclusão. O secretário destaca que nos processos seletivos a procura pelo ProUni rivaliza com a do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que seleciona estudantes para as instituições federais de ensino superior.

No primeiro semestre deste ano, 1,08 milhão de candidatos concorreram à vagas do Sisu e 1,04 milhão, do ProUni. Chama a atenção, segundo Costa, que no primeiro semestre, de 1,04 milhão estudantes, 508,9 mil optaram por disputar vagas na graduação apenas pelo ProUni. “Eles poderiam ter feito o Sisu porque atenderiam os critérios; isso mostra a relevância social do programa”, disse.

Na avaliação do secretário, além de promover a inclusão de jovens de uma classe social mais vulnerável, o ProUni é responsável por uma transformação cultural importante. “Vários desses alunos são os primeiros membros de suas famílias, em muitas gerações, que têm diploma de ensino superior”, salientou. “Isso gera um impacto muito grande na família e na comunidade”.

Os dez cursos que mais formaram profissionais com bolsas do ProUni, com base em dados da Secretaria de Educação Superior (Sesu), são os de administração (23.429 graduados); pedagogia (13.856), direito (11.263), enfermagem (7.737), ciências contábeis (7.454), educação física (5.822), gestão de recursos humanos (4.589), fisioterapia (3.785), ciências biológicas (3.355) e farmácia (2.876). No conjunto, os cursos de licenciatura formaram 40.514 jovens.

O ProUni também faz parte das metas do Plano Nacional de Educação (PNE) para 2011-2020, em análise no Congresso Nacional — Projeto de Lei nº 8.035/2010. A expectativa é que o programa atenda a mais quatro milhões de jovens. “Para alcançar esse objetivo vamos precisar da participação dos setores público e privado”, disse o secretário.


Artigos    + 20/07/11

Lula presente

Josias Gomes

A presença de Lula mais uma vez no Nordeste tem um grande significado político para o PT e os partidos que compõem a base de sustentação do governo Dilma Rousseff, na região. Trata-se da maior liderança popular do Brasil contemporâneo, além de principal responsável pela nova face econômica e social que o país ostenta perante o mundo. Daí, o alto significado que tem sua presença na política brasileira, e, portanto, credora de todas as atenções políticas esteja onde estiver.

A importância política do ex-presidente no Nordeste, neste momento, tem a ver com a necessidade de uma liderança do seu porte a fim de nortear as forças políticas governistas para o enfrentamento das eleições do próximo ano, e do apoio decidido ao governo de continuidade de Dilma Rousseff. Dessa forma, sua peregrinação pelo Nordeste, devido a sua importância, tanto provoca o entusiasmo dos militantes governistas quanto o desespero de forças ligadas ao atraso. São estes últimos os responsáveis pelos ataques desfechados contra o ex-presidente e contra sua (de Lula) responsabilidade política no Brasil.

O Brasil, a bem da verdade, necessita prosseguir no caminho inaugurado em 2003, quando da primeira investidura de Lula no cargo de presidente. Com efeito, desde então, o país se impôs perante o mundo, do ponto de vista econômico e político. A população brasileira vem experimentando níveis de ascensão social nunca vistas durante toda a sua história. Inconformados, os eternos responsáveis pelo nosso atraso tremem de raiva quando escutam Lula falar uma verdade que se impõe a cada vez que ela é dita: “nunca antes na história desse país”. É um óbvio tão ululante que precisa ser repetido à exaustão para que sua obviedade se projete cada vez mais forte.

Tremem porque sabem a verdade que essa frase encerra, e pelo fato de perceberem o quanto o povo compreende o que Lula diz. Milhões de pessoas, nos últimos oito anos, subiram na escala social brasileira, deixando níveis de miséria historicamente abomináveis. Nesse meio tempo, por conta da capacidade de consumo de seu povo, o Brasil conseguiu atravessar uma grave crise econômica mundial provocada pela banca norte-americana. E, ainda, conseguiu o Brasil pagar suas dívidas com o FMI, esvaziando, inclusive, bandeiras históricas do movimento popular nacional.

Quando Lula põe novamente seu pé na estrada, para repetir essas verdades aos seus aliados, e, principalmente, ao povo, os adversários de todos esses avanços tremem em suas bases. O que nos obriga, a nós, que compusemos a base de sustentação de seu governo, e que continuamos a fazê-lo durante o governo Dilma, a apoiar peremptoriamente sua decisão. E, principalmente, nos permite escancarar nosso orgulho imenso em termos, e estarmos, participado desse momento histórico de transformação nacional, que não pode parar, de jeito algum

Saudações ao companheiro Lula.


Monitoramento da saúde chega a 10,4 milhões de lares atendidos pelo Bolsa Família

O monitoramento da agenda de saúde dos beneficiários do Programa Bolsa Família chegou a 70% das 10,4 milhões de famílias que deveriam ser acompanhadas. O novo marco aponta que 7,3 milhões de famílias tiveram a vacinação infantil e o pré-natal verificados no primeiro semestre de 2011. Segundo o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), gestor do programa, esse resultado é  2% maior que o registrado no último período de avaliação.

Dentre as unidades da Federação, os indicadores mais altos foram alcançados pelos municípios do Piauí, com 81%. Das 340.212 famílias que se enquadram no perfil, os técnicos de saúde acompanharam 278.725. O percentual de famílias monitoradas também ficou acima da média nacional nos estados do Paraná (79%), Roraima e Rio Grande do Norte com 78% cada.

O monitoramento de saúde é obrigatório e uma das contrapartidas para que as famílias continuem recebendo os benefícios do programa. Outra exigência é a frequência escolar das crianças – acompanhada a cada bimestre pelo Ministério da Educação. Os municípios, estados e os ministérios da Saúde e Educação são parceiros do MDS na gestão do programa.

O Bolsa Família transfere cerca de R$ 1,4 bilhão por mês e atende quase 13 milhões de famílias. Desse total, 10,4 milhões possuem crianças menores de 7 anos e mulheres em idade fértil (14 a 44 anos) e, por esse motivo, se enquadram no critério de saúde.

Toda família com renda mensal de até R$ 140 por integrante tem direito ao benefício. Quem ainda não o recebe, deve procurar o gestor municipal do Bolsa Família na prefeitura do município em que mora e solicitar a inscrição no Cadastro Único para Programas Sociais do governo federal. A base do Cadastro é usada pelos técnicos do MDS para a concessão dos valores, que variam de R$ 32 a R$ 242, de acordo com o perfil socioeconômico e a quantidade de filhos de até 17 anos.


Terceiro melhor período de saldos semestrais de empregos no Brasil

O resultado do semestre (1.414.660 empregos celetistas) é o terceiro melhor para o período na série de saldos semestrais, superado apenas pelos registrados em 2010, quando foram gerados 1.634.357 postos de trabalho e 2008, com 1.445.734. O crescimento no período de janeiro a junho, em relação ao estoque de dezembro de 2010, foi de 3,94%.

Entre as Unidades de Federação, três registraram saldo recorde para o período: Rio de Janeiro (99.175 postos), Amazonas (28.520 postos) e Mato Grosso do Sul (26.984 postos). O Rio Grande do Sul (90.278 postos), Goiás (75.604 postos), e a Bahia (60.472 postos) registraram o segundo melhor resultado para os seis primeiros meses do ano.

O emprego no conjunto das nove Áreas Metropolitanas (BA, CE, MG, PA, PE, PR, RJ, RS e SP) cresceu 3,05% no primeiro semestre, com a geração de 65.070 postos de trabalho, terceiro melhor resultado da série histórica do Caged. O Interior desses aglomerados registrou um desempenho melhor com a criação de 676.278 postos de trabalho e um crescimento de 5,24%.

O salário médio de admissão no período apresentaram um crescimento real de 3,04%, em relação ao mesmo semestre de 2010, passando de R$ 874,14 para R$ 900,70 em 2011. Segundo o recorte por gênero, o crescimento real do salário médio de admissão obtido pelos homens foi de 3,88%, ante um aumento de 1,93% para as mulheres.


Agricultura lidera expansão do emprego em todos os setores

O número de admissões e desligamentos em junho foram recordes para o período, com 1.781.817 trabalhadores admitidos e 1.566.424 desligados. O bom desempenho registrado em junho originou-se da expansão de todos os setores de atividade econômica, com a Extrativa Mineral registrando saldo recorde com a geração de 1.752 postos de trabalho.

Em termos absolutos, os principais resultados foram registrados na Agricultura, com geração de 75.227 postos e crescimento de 4,60%, a maior taxa de crescimento entre os setores. Os setores de Serviços e Construção Civil foram responsáveis pela criação de 53.543 e 30.531 novos empregos celetistas, respectivamente.

Entre as regiões, o melhor desempenho foi apresentado no Sudeste, com a abertura de 124.292 empregos formais, seguido do Nordeste, com 39.953, segundo maior saldo, Centro-Oeste, com 23.163, segundo melhor resultado e maior taxa de crescimento do mês, com 0,84%. A região Norte também registrou o segundo melhor saldo do mês, com a geração de 11.922 novos empregos. Entre as Unidades de Federação, cinco tiveram saldos recordes em junho: Rio de Janeiro, com 19.756 postos, Bahia, com 11.767, Mato Grosso, com 9.832, Acre, com 939, e Amapá, com 652.


País cria 1,4 milhão de empregos em 6 meses

A economia brasileira gerou em junho deste ano 215.393 postos com carteira de trabalho assinada, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Entre janeiro e junho foram gerados 1.414.660 empregos formais. É o terceiro melhor resultado para o período na série de saldos semestrais.

Os dados foram apresentados nesta terça-feira (19) pelo Ministro do Trabalho e Emprego Carlos Lupi. O resultado do mês representa crescimento de 0,58% em relação ao estoque de trabalhadores com carteira assinada e é o segundo melhor na série histórica para o mês, atrás de junho de 2008 (309.442). Para ver os dados completos, acesse o site.

Segundo a avaliação do Ministério do Trabalho, o Brasil deve continuar a ter uma expansão forte no emprego e está tomando as medidas certas para manter a estabilidade econômica, mas deve continuar atento aos riscos da inflação e da crise mundial.

“Isso [a crise] em uma economia globalizada acaba mexendo com toda a estrutura econômica mundial e o Brasil tem que estar atento a esse processo e a cada mês observando isso e tomando medidas adequadas. Não tem que ter uma regra fixa, mas uma regra adaptada a cada momento da economia”, diz o ministro, que manteve a previsão de criação de 3 milhões de empregos formais em 2011.

Para ele, os dados na área do emprego são o melhor medidor de como anda a economia brasileira e o crescimento que o País teve neste setor no mês de junho foi melhor que o de 2010, o que prova que a empregabilidade continua crescendo.


Mais uma mina de ouro a céu aberto na Bahia
Estado pode gerar perto de 83 mil empregos diretos e indiretos no setor da mineração, até 2015

De acordo com matéria publicada no Tribuna da Bahia, reproduzida pelo IBahia, o estado terá mais uma mina de ouro a céu aberto. Prevista para entrar em funcionamento em dezembro de 2012, a mina fica localizada na região semiárida do município de Santa Luz, a 259 quilômetros de Salvador. A previsão de vida útil da mina é de dez enoas.

Conforme a matéria, o investimento é estimado em torno de R$ 323,3 milhões e o projeto prevê a produção de 243,3 kg/mês de ouro. Ainda de acordo com o jornal, a multinacional de mineração e extração de ouro canadense, Yamana Gold, prevê a construção de uma pista de pouso, que depois será utilizada pelo município.

De acordo com outra matéria publicada por A Tarde, até 2015, o setor prevê a criação de pelo menos 6.480 vagas na operação de minas na Bahia, em dez empreendimentos que já estão em fase de implementação, de acordo com protocolos assinados com o governo do Estado.

Ainda segundo A Tarde, são vagas para profissionais com 1º e 2º graus completos para os cargos de operadores de equipamentos, com salários que variam de R$ 1 mil a R$ 2 mil, além dos técnicos, com remuneração entre R$ 2 mil e R$ 4 mil. Para nível superior, a maior oferta é para engenheiros e geólogos, com rendimentos que ultrapassam R$ 7 mil.

O jornal baiano diz que se levada em consideração a estatística do Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram), que prevê a criação de 13 empregos indiretos para cada direto, os números podem chegar a mais de 83 mil postos de trabalho no interior do Estado, em municípios como Jaguaquara, Uranidi, Ilhéus, Caetité, Maracás e Santaluz, dentre outros.


Artigos    + 19/07/11

Campus de Paulo Afonso: uma vontade cada vez mais geral

 

Josias Gomes e autoridades ainda no Aeroporto. Da esquerda para a direita: Josias Gomes, vereadores Dinho e Haroldo do Hospital, de Paulo Afonso, Regivaldo Coriolano, presidente da Câmara de Paulo Afonso, deputado Paulo Rangel, Maninho, da Chesf, reitor da Univasf, José Weber Freire Macedo, Pedro Alcântara, diretor administrativo da Chesf

Josias Gomes

Estão definitivamente estabelecidas as condições objetivas e subjetivas para a criação do curso de Medicina na cidade de Paulo Afonso. O curso comporia um novo campus da Universidade do Vale do São Francisco. Entre as condições objetivas destacam-se a existência de um excelente prédio, onde era estabelecido o Grande Hotel, e de um Hospital já em funcionamento, o Nair Alves de Souza, ambos pertencentes à Chesf. A Companhia inclusive já manifestou a concordância em repassar os dois equipamentos para a Univasf. Ressalte-se, no entanto, que além do prédio onde funcionou o Grande Hotel, outros imóveis igualmente adequados para funcioamento do novo campus estão à disposição da Univasf, ampliando o leque de opções objetivas. Como condições subjetivas podem ser listadas as vontades do governo federal e do Ministério da Educação, empenhados na expansão do ensino superior público no Brasil, do Governo da Bahia, também voltado para o mesmo objetivo, e, enfim, da Chesf e da Univasf, que não escondem o entusiasmo com o projeto.

Nesta segunda-feira, 18, diversas autoridades envolvidas com a proposta estiveram mais uma vez em Paulo Afonso verificando in loco as condições para a instalação do novo campus. Entre as personalidades que foram a Paulo Afonso destaque para o deputado estadual Paulo Rangel, batalhador histórico pela implantação do campus, o reitor da Univasf, o professor José Weber Freire Macedo, que já manifestou seu desejo de implantar o curso em Paulo Afonso, da mesma forma que o diretor administrativo da Chesf, Pedro

Josias Gomes e autoridades no Aeroporto de Paulo Afonso. Da esquerda para a direita: Regivaldo Coriolano, Paulo Rangel, Maninho, José Weber, Josias Gomes, Pedro Alcântara, e secretário de Saúde de Paulo Afonso, Luiz Aureliano

Alcântara, o administrador regional da Chesf em Paulo Afonso, Gilberto de Barros (Maninho), o prefeito de Paulo Afonso, Anilton Bastos, e o presidente da Câmara de Vereadores de Paulo Afonso, Regivaldo Coriolano, além de secretários municipais, lideranças da cidade e assessores do reitor.

Tenho contribuído com o projeto da forma que me cabe, no Congresso Nacional. Dia 06 de julho passado apresentamos uma Indicação, na Câmara dos Deputados, e, através de Requerimento solicitamos ao MEC a instalação do campus em Paulo Afonso. O argumento que utilizo, e que também é usado por todos os que defendem o novo campus da Univasf em Paulo Afonso, tem a ver com a localização estratégica do município. Atualmente o Hospital Nair Alves de Souza, que pode vir a pertencer à Univasf, atende cerca de 240 mil pessoas pelo sistema SUS. O raio de influência de Paulo Afonso se estende por 35 cidades, em quatro estados. Além da Bahia, cidades de Sergipe, Alagoas e Pernambuco são beneficiadas pelo raio de ação do município baiano. Essa condição geopolítica certamente beneficia enormemente o projeto do novo campus.

Significativo lembrar, ainda, que a importância econômica de Paulo Afonso decorre da usina geradora de grande parte da energia elétrica do Nordeste. Mas, apesar disto, o município não teve o mesmo destaque que outros da região quanto aos diversos fatores de desenvolvimento. Por isto, creio, a cidade precisa de meios que a destaquem no cenário regional, acompanhando o que já acontece efetivamente no campo de alguns serviços,

Josias Gomes recebe o reitor da Univasf, Weber Freire Macedo, no Aeroporto de Paulo Afonso

como o da Saúde. Daí, o novo campus, oferecendo o curso de Medicina, juntamente com outros cursos superiores ali existentes, pode dar a Paulo Afonso um contorno mais preciso de cidade pólo da educação, com raio de influência em toda aquela região já citada. Certamente, estas razões têm motivado, além dessa minha participação, e a do deputado Paulo Rangel, das demais autoridades federais, estaduais e municipais, empenhadas em viabilizar a proposta.

Tão logo retome os trabalhos legislativos, no segundo semestre, na Câmara dos Deputados, estarei acompanhando de perto a tramitação da minha Indicação. Agora, esta Indicação vai contar com um relatório que será elaborado pela Univasf, dando conta principalmente dos debates ocorridos nesta segunda-feira, 18, e com base no que foi visto e analisado pelos técnicos da Universidade. Pela manifestação do reitor e de seus assessores, baseados na vontade de colaborar dos dirigentes da Chesf, este relatório será positivo, bastante favorável à criação do campus. Por isto, alimento a convicção de que mais do que nunca a vontade da população de Paulo Afonso, de suas autoridades, da juventude local, enfim, de todos os que vivem e residem na cidade e nos municípios circunvizinhos, esta vontade tornar-se-á realidade, para o bem de todos, e da Educação no Brasil.

Josias Gomes participa de reunião técnica em Paulo Afonso sobre campus da Univasf. Da direita para a esquerda: Paulo Rangel, Josias Gomes, prefeito de Paulo Afonso, Anilton Bastos, reitor José Weber, Pedro Alcântara, e Maninho

CÓPIA DO REQUERIMENTO E DA INDICAÇÃO FEITOS PELO DEPUTADO JOSIAS GOMES NA CÃMARA DOS DEPUTADOS:

REQUERIMENTO

(Do Sr. JOSIAS GOMES)

Requer o envio de Indicação ao Poder Executivo, sugerindo o encaminhamento ao Congresso Nacional de projeto de lei relativo à instalação de um campus universitário da Universidade Federal do Vale do São Francisco – Univasf, na cidade de Paulo Afonso/BA.

Senhor Presidente:

Nos termos do art. 113, inciso I e § 1o, do Regimento Interno da Câmara dos Deputados, requeiro a V. Exª. seja encaminhada ao Poder Executivo a Indicação em anexo, sugerindo a instalação de um campus universitário da Universidade Federal do Vale do São Francisco – Univasf, na cidade de Paulo Afonso/BA.

Sala das Sessões, em  06  de julho de 2011.

Deputado Josias Gomes

INDICAÇÃO No  851,DE 2011

(Do Sr. Josias Gomes)

Sugere ao Poder Executivo o envio de projeto de lei ao Congresso Nacional propondo a instalação de um campus universitário da Universidade Federal do Vale do São Francisco – Univasf, na cidade de Paulo Afonso/BA.

Excelentíssimo Senhor Ministro da Educação

A instalação de um campus universitário da Universidade Federal do Vale do São Francisco-Univasf, na cidade de Paulo Afonso, é tema urgente e necessário. Conforme deseja a sociedade civil local, o novo campus deveria oferecer cursos na área de Saúde.

A preferência por esta área do conhecimento é justificada em virtude da oferta de outros cursos, especialmente na área da Engenharia, em outros campi da Univasf, Ifet, e outras instituições de ensino superior na região, especialmente Juazeiro e Petrolina.

Temos mantido uma relação de permanente contato com as autoridades locais e, assim, percebido o sonho alimentado pela população pauloafonsina, com destaque para juventude, em torno dessa reivindicação.

Tal disposição, por si, já seria argumento suficiente para que a instalação desse campus fosse efetivada. À juventude o Brasil deve todas as atenções, ainda mais quando se trata de Educação, motor ímpar para o desenvolvimento do país.

Há anos que a comunidade local vem travando luta diuturna em favor desse campus da Univasf em Paulo Afonso. Em 2008, inclusive, o reitor da instituição, José Weber Freire Macedo, a convite do deputado estadual Paulo Rangel, esteve na cidade, e pôde observar as boas condições para a instalação do novo campus.

À época, segundo repercutiu a mídia local, o reitor da Univasf considerou que “Paulo Afonso tem uma população com mais de cem mil habitantes, ela é pólo de diversas outras cidades da região e de vários estados, e chama gente de várias partes”. E exemplificou: “se você faz qualquer curso aqui, num raio de 100 a 200 quilômetros você atende não apenas Paulo Afonso, mas toda uma região no entorno”.

O ponto que mais chama a atenção favoravelmente à reivindicação é a existência de um prédio da Chesf onde funcionou o Grande Hotel, a ser doado pela companhia à Univasf, conforme vontade já manifestada pela direção da Chesf.

Sobre o prédio, anexamos arquivo eletrônico com planta de instalação de propriedade da Chesf, onde seriam instalados os cursos do novo campus. A área posta à disposição da Univasf pela Chesf, em virtude de sua extensão e localização, atende perfeitamente aos requisitos do objetivo proposto.

Convém salientar a vocação de Paulo Afonso como um Pólo de Serviço Educacional.  Estrategicamente, Paulo Afonso tem limites com municípios de Pernambuco, Sergipe e Alagoas, fazendo parte do território de Itaparica, que contempla Bahia e Pernambuco.

Em Paulo Afonso já se encontra instalada a Universidade do Estado da Bahia-UNEB, campus 8, com cursos na área de Tecnologia, estando previsto, para janeiro, o início do curso de Engenharia Elétrica, pelo IFET.

A complementação desse Pólo Educacional se daria com a instalação do campus da Univasf, com o funcionamento dos cursos de Medicina, Odontologia, Enfermagem, Biomedicina, Fisioterapia e outros.

Assim, cremos na oportunidade da reivindicação, que tem o apoio de toda a bancada federal baiana, tendo em vista sua importância para o desenvolvimento da Educação no estado. Com reflexos positivos na economia e na sociedade locais.

Esperamos, portanto, o atendimento ao pleito, o que satisfará a todos os que, no Congresso Nacional, no Governo da Bahia, e nas prefeituras que compõem a região de Paulo Afonso, e sobretudo, em meio à população local, torcem pela sucesso da empreitada.

Sala das Sessões, em 06 de julho de  2011.

Deputado Josias Gomes


Preço ao consumidor acelera queda

O Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) caiu 0,13% na segunda prévia de julho. O resultado ficou 0,02 ponto percentual abaixo do verificado na apuração anterior.

De acordo com dados divulgados nesta segunda-feira (18) pela Fundação Getulio Vargas (FGV), seis das sete classes de despesa que compõem o IPC-S tiveram decréscimo em suas taxas. O destaque foi o grupo alimentação, com queda ainda mais intensa do que no último levantamento (de –0,77% para –0,94%). Ficaram mais baratos os itens hortaliças e legumes (de -2,89% para -4,09%), massas e farinhas (de 0,75% para 0,46%), adoçantes (de 1,02% para 0,08%) e carnes bovinas (de -0,71% para -0,78%).

Também apresentaram taxas menores entre as duas apurações os grupos vestuário (de 0,58% para 0,38%), educação, leitura e recreação (de 0,28% para 0,11%), saúde e cuidados pessoais (de 0,48% para 0,39%), despesas diversas (de 0,07% para 0,04%) e habitação (de 0,34% para 0,32%).

Por outro lado, o grupo transportes reduziu o ritmo de queda e a taxa correspondente passou de –0,72% para –0,17%. Os principais destaques nessa classe de despesa partiram dos itens gasolina (de -2,52% para -1,22%) e álcool combustível (de -2,70% para 2,49%).

A segunda prévia de julho do IPC-S foi calculada com base nos preços coletados entre os dias 16 de julho e 15 de julho, e comparados aos vigentes entre 16 de maio e 15 de junho.


Página 562 de 658« First...102030...560561562563564...570580590...Last »



Fotos

Fale Conosco

BRASÍLIA:

Câmara dos Deputados - Praça dos Três Poderes, Anexo IV, Gabinete 642 - Brasília-DF - CEP 70160-900

Telefone: +55 (61) 3215-3642 | 3215-4642 | 3215-5642 - Fax: (61)3215-2642 - Celular: (71) 9 8866-1312

E-Mail: dep.josiasgomes@camara.gov.br - Facebook: josiasgomes1312 - Instagram: josiasgomes1312

SALVADOR:

Rua Edístio Ponde nº 353, Ed. Empresarial Tancredo Neves, Sala 404 - Bairro Stiep - Salvador-BA - CEP 41770-395

Telefone: +55 (71) 3013-1312 | 3011-1312

Licença Creative Commons

займ на карту с плохой кредитной историей